Por Rosana Silva Luz, Coordenadora de Recursos e Serviços da Homine

Sistemas, bits e gadgets fazem parte do nosso negócio de TI. Executamos projetos para atualizar sistemas e melhorar o seu desempenho, e criamos soluções inovadoras que trazem mais eficiência aos processos dos clientes. Mas há um componente por trás de tudo isso, fundamental para que o setor de TI e suas empresas sigam em frente: pessoas.

No meu trabalho diário, minha equipe e eu alocamos profissionais ou montamos times de experts para trabalhar nos clientes. E atuamos como headhunters buscando os melhores perfis para as empresas. Por estarmos em contato permanente com todas as pontas do segmento – mercado, clientes e profissionais –, temos uma visão privilegiada das tendências e demandas do setor de TI, ou seja, para onde estamos caminhando.

À frente da área de Recursos e Serviços da Homine, estou a par do que o mercado tem exigido dos profissionais tanto do ponto de vista técnico quanto comportamental. Nossa empresa já lida com profissionais de TI há mais de 15 anos.

Como muitos me perguntam – “Rosana, o que o mercado tem pedido? Por que não fui escolhido para a vaga? Quais atributos preciso desenvolver para ter maior empregabilidade?” –, tomei a iniciativa de sistematizar essas respostas e assim ajudar na compreensão de algumas das principais necessidades do mercado de tecnologia. Aqui vão, portanto, sete passos fundamentais para o profissional de TI se destacar no mercado:

  1. Seja um consultor multimódulo. Se você é um especialista em um único módulo SAP, corra para aprender sobre os outros também. As empresas não buscam mais consultores com atuação restrita ao seu próprio módulo, não estão interessadas em contratar vários profissionais para diversos problemas.
  2. Esteja constantemente atualizado. Os clientes seguem a inovação e os profissionais devem fazer o mesmo. Em termos práticos, e novamente falando do mercado SAP, consultores que trabalham com o SAP S/4 HANA, por exemplo, versão top-notch do ERP, estão na dianteira e são mais visados pelo mercado.
  3. Arranha no inglês? Então não perca mais tempo. O mercado de TI exige fluência no idioma. Fale e escreva como um nativo na língua. É o que os clientes desejam. Mas, por outro lado, é a grande dificuldade do mercado e a causa do gargalo que temos hoje na seleção dos profissionais. Portanto, qualificar-se nesse quesito fará de você um profissional desejado no mercado.
  4. Comportamentos erráticos não são mais aceitáveis, como faltas inesperadas, baixa assiduidade ou produtividade, e posturas inadequadas no trabalho. Esses profissionais são preteridos. Há muita gente boa no mercado. Seja técnico, eficiente, pontual e comprometido com o trabalho.
  5. Para se manter atualizado, recorra ao coaching para trocar ideias e receber inputs valiosos sobre a melhor direção a seguir na carreira, de acordo com os cenários vislumbrados para o mercado, e o que você pode aprimorar na sua vida profissional para ter mais empregabilidade.
  6. Procure se adequar aos perfis globais. Os grandes clientes do setor de TI são globais e são os que mais investem no Brasil. Quer trabalhar com eles? Então se adeque ao modo como eles trabalham. Não reclame ou julgue a maneira como atuam. Lembre-se: o trabalho envolve fatores culturais. Não se pode esperar que um profissional alemão atue como o brasileiro. Portanto, aceite as diferenças e cresça com elas.
  7. E não menos importante: cuide da sua saúde mental. Reserve um tempo para meditar, silenciar, oxigenar o cérebro. Descansar. Esse tempo dedicado a você vai impactar positivamente no seu desempenho profissional. Corpo e mente em equilíbrio fazem a diferença.

Espero ter contribuído com essas dicas e que algumas delas sejam úteis para você avançar e ter mais sucesso na sua carreira na área de TI.

A Homine concluiu no dia 12 de julho mais um projeto de nota fiscal eletrônica 4.0 (NF-e), desta vez na AgroFresh, empresa que desenvolve tecnologias para manter frutas e vegetais frescos por mais tempo.

Foi feita a atualização do SAP e da solução Signature, que realiza a emissão dos documentos fiscais, para a inclusão dos novos campos do layout 4.0 da NF-e. A nova versão da nota fiscal entrou em vigor no dia 2 de agosto, desativando a anterior, 3.10.

O projeto, coordenado pela Homine e executado remotamente, teve duração de dois meses e contou com uma equipe dedicada composta por seis profissionais, entre eles um consultor internacional.

“Tivemos alguns desafios técnicos e ainda assim conseguimos concluir o projeto em tempo recorde, considerando que fizemos a atualização dos sistemas e a aplicação de todas as notas técnicas da SAP”, comemora o PMO da Homine responsável pelo projeto, José Geraldo Garcia.

Para o projeto, a Homine utilizou um consultor especialista em processos de emissão de nota fiscal, que já estava alocado na AgroFresh, o que deu mais agilidade e eficiência à implementação das adequações. “Isso permitiu uma geração de testes mais eficaz e os erros encontrados nas validações foram muito bem documentados, o que nos possibilitou atacar os problemas rapidamente e com objetividade”, ressalta José Garcia.

A parceria e o bom relacionamento entre AgroFresh e Homine também contribuíram para o sucesso do projeto. A Homine foi a consultoria que implementou a versão 3.10 da NF-e na AgroFresh no Brasil, além de ter realizado outros projetos de consultoria SAP para a empresa na Argentina e no Chile, e em breve, no México.

Mais projetos concluídos

Em julho, a Homine finalizou mais dois projetos de NF-e 4.0 nas empresas GEA e Kelvion. Grandes empresas de variados segmentos, como Emerson, LyondellBasell, Matell, Hilti, Cargill e BASF, já tiveram seus sistemas recentemente atualizados pela Homine.

Devido à obrigatoriedade do novo layout introduzido pelo governo brasileiro, a Homine tem realizado, desde 2017, inúmeros projetos que incluem a atualização do SAP para o novo padrão, além da atualização ou implantação da solução Signature, que faz a emissão dos documentos e toda a comunicação das informações com a Secretaria da Fazenda (Sefaz).